ANACOM promove debate sobre cabos submarinos

A ANACOM, em coadjuvação ao Governo, teve um papel fundamental na implementação do novo Anel CAM (ligação por cabo submarino entre o Continente, os Açores e a Madeira), mas também para que o mesmo fosse dotado de deteção sísmica ambiental. Este Anel irá integrar o ramo doméstico (um par de fibras óticas entre a Madeira e o Continente) do cabo submarino Ellalink, que vai assegurar a ligação ente a Europa e a América do Sul, sendo este sistema internacional inaugurado a 1 de junho próximo.

Tal foi feito com claro benefício do sector das comunicações e não só, pois o futuro Anel CAM acabou por ser o catalisador para a discussão de uma estratégia nacional mais abrangente, que se inicia na Conectividade internacional e tendo como objetivo último a instalação em Portugal de um Data Hub, envolvendo assim a Economia Azul e a Economia Verde, em claro benefício alargado a outros sectores para além das comunicações, de que são exemplo a ciência, o ambiente, a economia, a coesão e a defesa, entre outros.

Em face do exposto, e tendo em conta a importância dos cabos submarinos, até no contexto do desenvolvimento das redes 5G, a ANACOM está a promover o debate em torno da relevância dos sistemas dos cabos submarinos e do contributo que podem dar para o desenvolvimento da economia e da sociedade em geral. Neste sentido está a organizar dois eventos que decorrem nos próximos dias.

Nos dias 27 e 28 de maio vai decorrer a Conferência sobre a “Conectividade Internacional e a Plataforma Atlântica Europeia de Dadoshttps://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1619758”, organizada em conjunto com o Ministério das Infraestruturas e da Habitação, no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, e que tem por objetivo reforçar o papel da União Europeia (UE) como ator digital global, promovendo a conectividade internacional, dentro da UE e entre a UE e outros continentes e regiões.

Nesta iniciativa procura-se promover a partilha das estratégias de várias partes interessadas nacionais e internacionais: operadores de redes, OTT, prestadores de serviços de armazenamento de dados, prestadores de serviços de interligação, fabricantes/fornecedores de cabos submarinos e promotores de projetos de cabo submarinos internacionais e nacionais. É esperado que nesta conferência sejam anunciados projetos de novos cabos submarinos a amarrar em Portugal, assim como outros projetos relacionados com armazenamento de dados e com a interligação, identificando-se deste modo a contribuição de Portugal para a constituição da EU Atlantic Data-Gateway Platform.

Esta conferência é pública e realiza-se na Zona Industrial e Logística de Sines, conforme programahttps://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1619758 disponível no site da ANACOM, também podendo ser assistida remotamente por qualquer interessado(a).

No dia 3 de junho, com início às 11h30, hora dos Açores (12h30 em Portugal Continental), realiza-se o evento público onlineAtlantic SMART Cables: Challenges and Opportunities of the CAM Ringhttps://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1628982”, organizado pela ANACOM, em parceria com o Atlantic International Research Center (AIR Centre), como evento paralelo à conferência All-Atlantic 2021 Link externo.https://www.allatlantic2021.eu/.

O workshop irá debater o conceito de SMART Cables, bem como discutir a utilização de cabos submarinos de telecomunicações para monitorização sísmica e ambiental no contexto da substituição do Anel que assegura a interligação Continente, Açores e Ilha da Madeira (CAM). Este workshop poderá ser seguido remotamente por qualquer interessado(a), conforme programahttps://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1628982 disponível no site da ANACOM, estando todavia sujeito a inscrição prévia através deste formuláriohttps://us02web.zoom.us/webinar/register/WN_rMEaME-ITqacY-EbFf3Pgg.

Partilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin