Fatura de eletricidade: 69% dos portugueses não estão satisfeitos com o valor

fatura de eletricidade
8,4% não sabe exatamente se o valor cobrado na sua fatura de eletricidade é o mais ajustado para o seu consumo

Com o consumo de eletricidade a aumentar substancialmente em 2021, no segmento doméstico, segundo dados da REN, é importante, hoje, conhecer o nível de conhecimento da população nacional sobre seu consumo e sua conta de eletricidade. Neste contexto, a ei energia independente, empresa especializada no autoconsumo solar fotovoltaico, do grupo Galp, realizou um estudo em Portugal e Espanha, que revela que 69% dos portugueses não concordam com o valor cobrado mensalmente na sua fatura de eletricidade e acreditam que atualmente pagam demasiado pela energia que consomem, enquanto 8,4% não sabem exatamente se o valor cobrado na sua fatura é o mais ajustado para o seu consumo.

A potência contratada é um dos aspetos mais importantes a ter em conta na nossa fatura de eletricidade e parece que os portugueses estão cientes disso, uma vez que 85% afirmam saber que potência contrataram. Destes, 55% sabem que a sua potência é a mais apropriada, enquanto 30,5% sabem que têm uma potência contratada que não se ajusta às suas necessidades (seja acima ou abaixo).

O facto de uma maioria não concordar com o valor da sua conta de eletricidade significa uma coisa: as pessoas precisam de outros modelos de fornecimento de energia, mais adequados às suas necessidades. Neste sentido, a mudança para o autoconsumo torna-nos mais conscientes da energia que utilizamos e leva-nos a poupar na nossa fatura mensal de eletricidade. Isso dá-nos o poder, como utilizadores, para tomar as melhores decisões com base no nosso estilo de vida e necessidades”, diz Ysabel Marques, Iberian Chief Marketing Officer da ei energia independente.

Gerar a própria energia permite contornar impactos cíclicos na fatura de eletricidade

Promover a eficiência e o autoconsumo são alguns dos objetivos das boas práticas que precisam de ser implementados. Esta forma alternativa de consumo de energia, apesar de existir há muitos anos, é ainda desconhecida da população, e 37% dos portugueses reconhecem que não atualizaram os seus conhecimentos sobre o autoconsumo solar fotovoltaico nos últimos anos. Em Espanha, e comparativamente, este número é ainda mais evidente com seis em cada dez espanhóis (60%) a reconhecerem não ter muito conhecimento sobre o autoconsumo.

Gerar a sua própria energia permite que consiga evitar os impactos associados à volatilidade do mercado e aos custos do sistema. Os consumidores podem encontrar no autoconsumo uma oportunidade para minimizar os efeitos de alguma flutuação no valor da eletricidade, principalmente evitando as horas mais caras, já que a produção solar se concentra precisamente nesses períodos”, acrescenta Ysabel Marques, da ei energia independente.

LEIA TAMBÉM: UPAC crescem em Portugal: Helexia dá energia limpa ao Grupo Montalva/Izidoro

De facto, de acordo com o estudo ei, agora divulgado, 64% dos portugueses consideram que o autoconsumo solar fotovoltaico permite poupanças económicas significativas a médio e longo prazo, e 57% reconhecem que é uma fonte de energia mais sustentável.

Sobre o estudo:

O estudo apresentado foi desenvolvido e realizado pelo Instituto IO Sondea de Investigación de Mercados para a ei energia independente em Portugal e Espanha. Foi realizado tendo como base uma amostra de 2.008 indivíduos em cada país, de idades compreendidas entre os 18 e 65 anos de idade. Estes indivíduos pertencem ao painel Sondea, selecionados de acordo com as quotas de sexo, grupo etário e CCAA, de acordo com o censo municipal de habitantes do INE 2020. Foram selecionados de uma amostra de 10.000 indivíduos pertencentes ao referido painel, de forma intencional e proporcional às quotas cruzadas do INE de cada variável de afixação, o que representa uma taxa de resposta de 20,08%.

Sobre a ei energia independente:

ei – Energia Independente é uma empresa do Grupo Galp especializada no autoconsumo solar fotovoltaico no âmbito da geração distribuída. A ei foi criada com o objetivo de promover o autoconsumo fotovoltaico através da inovação e assim ajudar as empresas e famílias a produzir as suas próprias energias renováveis.

Possui uma plataforma tecnológica, eiTech2Perform, que lhe permite oferecer instalações personalizadas de painéis solares de acordo com as necessidades e características de cada cliente, bem como desenvolver novas soluções tecnológicas que ajudam a maximizar a eficiência tanto das instalações de autoconsumo como de todas as novas oportunidades viáveis no campo da geração distribuída. A ei está presente nos mercados de Espanha e Portugal e tem os benefícios do apoio, força e conhecimento que advém do facto de fazer parte do Grupo Galp.

Para mais informações, contacte:

Sofia Velasco

[email protected]

T: +351 932 101 396

Partilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin