Estudo revela impacto da Covid-19 nas PME

O estudo sobre o impacto da covid-19 nas PME mostra que as organizações encontraram desafios significativos para viabilizar o teletrabalho, que muitas vezes se tornou um modelo obrigatório com o evoluir da pandemia: 38% considerou a gestão da adaptação “difícil” ou “muito difícil”, e quase metade identificou como uma dificuldade a falta de hardware ou software (para os colaboradores realizarem as suas tarefas diárias a partir de casa).

Da mesma forma, 44% identificou como desafio a manutenção e o suporte de hardware ou software de IT para os colaboradores em teletrabalho. 37% adiantou que, devido às condições impostas durante o último ano, houve uma maior exposição a vírus, malware ou outras ameaças à segurança. “Provavelmente em consequência destas situações, 33% dos entrevistados investiu em serviços geridos de IT neste período”, resume Vasco Falcão, diretor-geral da Konica Minolta para Portugal e Espanha.

O teletrabalho também trouxe desafios operacionais específicos: 51% das empresas identificou constrangimentos na comunicação entre as equipas e 37% indicou dificuldade no acesso e localização de documentos, enquanto para 30% o maior desafio surgiu ao nível da colaboração em documentos digitais. O estudo revelou, ainda, que 42% das PME ainda depende de processos baseados em papel, com 49% a referir questões de privacidade e segurança como o principal motivo.

Contudo, em resultado da nova conjuntura, 45% das PME adquiriu ou atualizou o armazenamento de dados na cloud, por exemplo. “Sabemos que o desafio do teletrabalho estimulou os esforços de digitalização em geral, nomeadamente no que diz respeito à gestão documental. Apesar de todas as pressões sofridas durante a pandemia, conseguimos observar um efeito benéfico nas empresas que decidiram acelerar a digitalização”, acrescenta Vasco Falcão.

“As mudanças rápidas e globais provocadas pela pandemia têm consequências irreversíveis para a IT, especialmente para as PME: colaboradores e organizações experimentaram, em primeira-mão, a agilidade e flexibilidade que é possível atingir ― quer no trabalho remoto, quer com processos digitais otimizados. Aproveitar estas oportunidades é altamente valioso para as PME porque, além de todas as vantagens, conseguimos garantir-lhes segurança”, explica Vasco Falcão, que também assegura que estamos cientes dos desafios enfrentados pelas PME e estaremos na frente do apoio às empresas durante todo o seu processo de transformação digital”.

Partilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin