Lovecraft Beershop encerra Oktoberfest com avaliação positiva em Aveiro

A edição de 2021 da Oktoberfest na Lovecraft Beershop Aveiro foi muito além do esperado. A avaliação é do sócio-gerente Ricardo Sousa, que conversou, em exclusivo, com OAPRECIADOR.com CERVEJAS, a nova editoria do nosso site de notícias que avança hoje. A proposta é trazer ao leitor informação de qualidade sobre o mercado cervejeiro nacional e internacional.  

Nesta primeira entrevista, Ricardo Sousa, sócio-gerente da Lovecraft Beershop Aveiro, fala sobre o mercado cervejeiro português neste período pós-pandemia. Os desafios e perspectivas do setor e as características do público consumidor nacional. Para Ricardo Sousa, a palavra-chave para um crescimento eminente é “educação”. “Precisamos investir em publicações especializadas, em canais de comunicação que consigam levar informação sobre cerveja a um público que está ávido por novidades”, diz Ricardo, que tem um canal no Youtube (Mr. Ricardo Sousa) só para falar sobre o assunto.

Qual a sua avaliação sobre a Oktoberfest 2021 na Lovecraft Beershop Aveiro?

A nossa Oktoberfest geralmente acontece em uma semana, mas, neste ano, decidimos realizar em apenas três dias, devido à quantidade menor de oferta de cervejas. Tivemos a limitação de seis cervejas na pressão, mas o resultado foi muito bom. Em certa medida, foi surpreendente, porque tudo que é pós-pandemia é um bocado incógnita neste momento, ou seja, não sabíamos o que iria acontecer. Nossas expectativas não estavam muito elevadas, não estávamos a contar com nada fora do normal, extraordinário. Mas dentro daquilo que é a realidade atual, decorreu muito bem. O Oktoberfest veio dar um extra.

Como estava a cena do mercado cervejeiro português antes da pandemia?

Antes da pandemia o mercado português de cervejas artesanais estava em franca expansão. Notava-se claramente um crescimento, não só no número de produtores, mas, sobretudo, na qualidade das cervejas que estavam a ser apresentadas. Agora, estamos em um momento de retomada. Alguns produtores que dominam o mercado nacional, não só em termos de quantidade, mas de variedade, sofreram um grande revés, mas sobreviveram e continuam a oferecer mais opções. Algumas fábricas estão a oferecer 12, 14, até 16 rótulos diferentes e isso mostra uma capacidade de retomada incrível.

Já o pequeno produtor (homebrewer), que tem uma produção reduzida, mas que fabricava uma maior quantidade para vender em feiras e festivais de cerveja, alguns deles pararam a produção, mas são pessoas que não têm a produção de cerveja como sua atividade profissional principal. Fazem cerveja por amor e como hobby. Aqueles que dependem exclusivamente dessa atividade sofreram, estão a pagar pelos efeitos da pandemia durante algum tempo, mas estou confiante que vão sobreviver, porque tem se notado que o mercado continua pujante, existe muita vontade do público de continuar a beber cerveja  artesanal. A tendência é claramente de crescimento. Na verdade, estamos até surpreendidos da forma como estamos a conseguir retomar a nossa atividade. Sinto que o mercado está com vontade de crescer.

E como está o mercado português para os próximos anos?

O português é um grande consumidor de cerveja. Falo pela experiência que temos todos os dias aqui na Lovecraft Beershop que há pessoas que estão a descobrir. A nossa luta dentro desse mercado é conseguir conquistar esses consumidores que buscam uma alternativa de bebida, frente ao vinho, por exemplo. Neste sentido, temos feito degustações para explicar o porque de cada cerveja ter aquele perfil de sabor e aroma e como pode ser harmonizada com determinada comida. Já temos alguns clientes que vêm connosco em busca de cervejas especiais para acompanhar um determinado jantar. Eles chegam, dizem qual é o tipo de comida que terão e pedem uma sugestão de cerveja para acompanhar o jantar. É um trabalho árduo, a longo prazo, de muita paciência, um trabalho de educação mesmo. Ainda é um caminho grande a percorrer, mas não tenho dúvidas de que é um caminho promissor.

As cervejas produzidas em Portugal estão preparadas para atender um público mais exigente?

Acredito claramente que a qualidade das cervejas artesanais produzidas em Portugal estão a atingir um nível fantástico. Tenho na Lovecraft Beershop algumas cervejas nacionais que batem, de longe, algumas cervejas internacionais. Claro que ainda não é um mercado cem por cento. Ainda há algumas cervejas que precisam melhorar. Se há por parte do produtor alguma abertura para sugestões no sentido de melhorar o produto eu dou um feedback de acordo com o gosto dos nossos clientes, pois não sou sommelier e nem perito de cerveja, mas entendo do mercado porque estou na ponta final, em contato direto com o consumidor.

A cerveja artesanal portuguesa está mais para a tradição ou inovação?

Os produtores que estão no início escolhem estilos mais tradicionais e que têm mais aceitação por parte do público. Mas se olharmos as marcas mais estabelecidas, vamos ver que se aventuram mais em estilos com um gral de dificuldade mais elevado com uma clara tendência de inovação. E é interessante que não se trata apenas de copiar estilos de marcas importadas e sim de criar os próprios estilos.

Em sua avaliação, qual o grande desafio do setor para os próximos anos?

O grande desafio para o setor é a educação do público consumidor. Temos realmente que investir em conhecimento. Um trabalho contínuo e que exige muito esforço e dedicação. Se focarmos apenas em vender hoje, vamos perder os clientes mais tarde, ou ficar apenas com clientes regulares, o que não é muito bom em um mercado pequeno como o nosso de Portugal. Precisamos de mais gente a consumir e em maior quantidade. Precisamos enraizar a cultura cervejeira nacional.

Nesse sentido, temos uma parceria com o Gonçalo Faustino da cervejaria Maldita para realizar aqui na Lovecraft Beershop algumas provas experimentadas. Eu mesmo faço alguns eventos para o público que está a iniciar no mundo cervejeiro, para aqueles clientes menos conhecedores que estão realmente nos primeiros contactos com as cervejas artesanais.

Uma palavra final aos nossos leitores?

Beba menos, mas beba melhor. Essa é uma frase que define muito bem o universo cervejeiro. Existe um mundo de sabores que vocês precisam experimentar e estamos aqui para vos conduzir neste caminho.

Partilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin