Mezcal Amarás chegou a Portugal mesmo a tempo do verão

mezcal amaras
Mezcal Amarás já está disponível em diferentes restaurantes e bares por todo o país, com maior incidência no Porto e em Lisboa

Pela primeira vez fora do mercado dos vinhos, a Casa de Vilacetinho encontrou no México a mesma filosofia que rendilha nos seus vinhos: o respeito pela origem – pessoas e terra que trabalham o produto. Mezcal Amarás, que até há bem pouco tempo era conhecida como Amores, chega ao nosso país com três gamas – Mezcal Verde, Mezcal Amarás, e Mezcal Amarás Logia.

O Mezcal é uma bebida artesanal formulada a partir do Agave selvagem, também apelidado de ‘Maguey’, uma espécie de cato que serve também de base à tequila, por exemplo. No entanto, esta é produzida apenas com agave azul, podendo ser formulada com outros elementos, enquanto que o Mezcal é produzido a 100% com qualquer variedade de Agave.  Aqui, todo o processo é 100% artesanal.

As plantas selvagens são normalmente colhidas entre os sete e os 35 anos de idade pelos ‘agaveros’ e, depois, passam pelo, quase cinematográfico, Ritual da Seca, numa enorme lareira alimentada por mais de duas toneladas de madeira e pedras do rio durante três a cinco dias. Cabe depois aos “Maestros Mezcaleros” a responsabilidade pelo processo de fermentação 100% natural, feito a partir de leveduras indígenas, e a destilação, que é feita em alambiques de barro ou cobre.

Apesar do Ritual da Seca ser o principal responsavel pelas notas fumadas e muito vibrantes, o tipo de Agave também influencia o sabor. A biodiversidade dos Agaves selvagens é imensa, destacando-se as variedades mais conhecidas como o Espadín, Cupreata, Cenizo, Tobalá, Sierra Negra, Mexicano, e Jabalí.

No entanto, o clima, solo e região de onde o Agave é colhido, também faz a diferença no palato. Por norma, o Mezcal é uma bebida descomplicada que se acompanha apenas com gelo, um pau de canela e casca de laranja, no entanto promete ser um parceiro dos cocktails deste verão. Além de frescura e de alguma provocação na boca, o Mezcal é conhecido pelas suas propriedades naturais, sendo aconselhado para problemas de digestão, pois contem o prébiotico agavin. Além disso, a pensar no verão, esta é uma das bebidas espirituosas com menos calorias.

Mezcal Amarás destina 20% da venda a iniciativas de promoção social e ambiental

Com um produto bem conseguido, a Mezcal Amarás preocupa-se ainda em preservar o futuro da indústria e das comunidades locais, alocando 20% da venda de cada garrafa no desenvolvimento de iniciativas de promoção social e ambiental.

Em Portugal,  o primeiro esforço solidário é dirigido a um dos principais parceiros da marca, o Yamba, bar na Costa da Caparica, que foi vítima de um acidente que dizimou as suas instalações. Num gesto de solidariedade, a marca vai reverter 80% das vendas do exclusivo ‘Mezkal Yamba’ na loja online para apoiar a reconstrução do espaço.

Para João Miguel Maia, diretor da Casa de Vilacetinho e Mezcal Amarás em Portugal, esta novidade não constitui uma revolução na forma de estar da marca histórica no mercado. “A Mezcal Amarás descreve a sua filosofia como “From seed to sip”, da semente para o copo, o que não se distancia muito do que fazemos com a casta Avesso, autóctone do vale do Douro Verde. O respeito pelos mestres agaveros e pelas comunidades locais cativou-nos imenso. Além disso, sabemos que há público, em Portugal, para este tipo de bebida diferenciadora que traz consigo um universo cativante”, refere.

Atualmente, Mezcal Amarás já está disponível em diferentes restaurantes e bares por todo o país, com maior incidência no Porto e em Lisboa. As encomendas também já podem ser feitas online, na loja Mezcal Amarás no Adegga Marketplace.

Sobre a Casa de Vilacetinho:

Localizada na freguesia de Alpendurada, no concelho de Marco de Canavezes, a emblemática Casa de Vilacetinho é uma das marcas mais antigas da região, somando marcos importantes para a história dos vinhos portugueses.

Fundada em 1790, a Quinta de Vilacetinho, poder-se-ia considerar, naquele tempo, um “gigante” quando comparada com a estrutura de outras propriedades do Douro, devido à união de duas vetustas quintas que, durante séculos desde a Idade Média, integraram o património fundiário do Mosteiro Beneditino de Alpendurada.

Esta é uma propriedade única no contexto da região onde está integrada, destacando-se características agrícolas excecionais. Daqui resultam vinhos com perfil distinto, verdadeiros retratos do terroir que lhes dá vida. Vinhos diferentes, refinados, com uma certa feição de Champagne.

O estatuto de qualidade e tradição tem sido honrado pela família que já gere a produção vitivinícola há oito gerações. Atualmente, a Casa de Vilacetinho está presente em três setores de atividade: produção de vinhos, Enoturismo e imobiliária.

Gabinete de Imprensa:

Alice Santos

SILVER LINING – Consultoria de Comunicação

Tlm.: +351 932 510 139 | E-mail: [email protected]   

Partilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin