O que é escuta ativa: 6 técnicas para se tornar um bom ouvinte

o que é escuta ativa

O que é a escuta ativa senão a prática de absorver, compreender, responder, e reter o que está a ser dito. No trabalho, é uma arma secreta para construir relações profissionais, melhorar a produtividade e fazer avançar a sua carreira. Aprender a ouvir ativamente pode ser-lhe útil a vários níveis. É apenas uma das muitas formas de elevar o seu perfil profissional e de chamar positivamente a atenção em situação de entrevista ou no desempenho de funções no quotidiano de trabalho.

Então o que é a escuta ativa na prática, ou melhor, como a praticar?

1 – ‘Oiça’ os sinais não verbais

As palavras não são tudo. A escuta ativa requer que se leia também a linguagem corporal de uma pessoa e se obtenha informação a partir de sinais não verbais. Saber o que procurar é crucial. Geralmente, os peritos recomendam que se preste atenção aos seguintes sinais:

Positivos

⦁ Contacto visual direto
⦁ Músculos faciais relaxados
⦁ Sorriso amigável
⦁ As mãos são visíveis, abertas e relaxadas
⦁ Os braços estão abertos

Negativos

⦁ Movimento rápido dos olhos
⦁ Olhar frio, vidrado ou distante
⦁ Sobrancelha levantada em sinal de incredulidade ou dúvida
⦁ Músculos faciais tensos
⦁ Sorriso rígido e forçado
⦁ Mãos ou punhos cerrados
⦁ Braços cruzados com força (indicando uma posição defensiva ou protetora)
⦁ Inquietude

LEIA TAMBÉM: Recrutamento e seleção: 4 dicas para se destacar da multidão

2 – Utilize eficazmente a linguagem corporal

A linguagem corporal indica se se está em sintonia ou desconexão com o que alguém está a dizer. As melhores práticas incluem:

⦁ Olhe para o orador
⦁ Mantenha o contacto visual. Para resultados ótimos, mas não intimidadores, tente contacto visual 60% a 70% do tempo
⦁ Acene com a cabeça quando apropriado
⦁ Evite cruzar os braços
⦁ Sorria

3 – Não interrompa o interlocutor

Quando aprender a praticar escuta ativa, descobrirá que o silêncio pode ser uma ferramenta poderosa. Afinal de contas, ninguém gosta de ser interrompido. Portanto, deixe a pessoa falar. Não tente terminar as suas frases ou acrescentar uma ideia. Se precisar de um lembrete físico para ficar calado, feche bem a boca até ser a sua vez de falar.

A excepção? Se tiver de interromper, digamos, porque está atrasado para uma reunião, faça-o educadamente: “Lamento interromper, mas…”.

4 – Esclarecer o que o orador está a dizer

Se alguma coisa que a pessoa diz não estiver clara, tente resumir o que ouviu, dizendo algo do género: “Só quero ter a certeza de ter ouvido tudo corretamente”, ou simplesmente dizer: “Lamento, mais uma vez, por favor”. Evite frases negativas como “Estou a ter problemas em segui-lo” ou “Pode repetir isso? Estava a falar demasiado depressa.

5 – Fazer perguntas

Quando quer praticar uma escuta ativa não deve hesitar em fazer perguntas, pois questionar mostra que está a prestar atenção ao que é dito e demonstra interesse e curiosidade. No entanto, o objetivo é fazer perguntas que levem a conversa a um nível mais profundo.

Aqui estão alguns exemplos de perguntas ponderadas:

⦁ Se um colega de trabalho desabafar consigo sobre a pesada carga de trabalho: “Parece que estás a ter um pico de trabalho! Esta á a norma, ou é um pico sazonal?
⦁ Se o seu chefe lhe faz críticas construtivas: “Obrigado pelo feedback: pode esclarecer-me um pouco mais sobre como vai medir o meu desempenho no futuro”?
⦁ Se o seu gestor elogia o seu trabalho: “Obrigado, esforcei-me muito e pensei muito nisto. Como reagiu o cliente”?

LEIA TAMBÉM: Emprego online: recrutadores investem 45% do tempo na procura de candidatos nas redes sociais

6 – Limite as distrações para escutar de forma ativa

A escuta ativa não é nada se não for respeitosa. Contudo, é difícil evitar todas as distrações, especialmente quando somos bombardeados com e-mails, mensagens de texto, ou notificações nas redes sociais. Siga estes passos simples para se manter concentrado quando alguém está a falar consigo:

⦁ Guarde o seu telefone ou, se possível, desligue-o ou coloque-o em modo de avião para que não se sinta tentado a verificar o e-mail
⦁ Ter conversas num espaço tranquilo e privado
⦁ Avisar os outros que não está disponível (por exemplo, pode considerar a colocação de um sinal na porta que diga: “Por favor, não incomodar a menos que o escritório esteja a arder” (o sentido de humor é também uma arma poderosa!).
⦁ Se um colega de trabalho tentar envolvê-lo numa conversa, mas estiver demasiado ocupado para lhe dar toda a tua atenção, avise-o. (“Quero estar totalmente presente nesta conversa, mas estou no lodo neste momento. Podemos marcar uma hora para que possamos falar?”).

Para mais informações:
Inês Maia e Silva | 967 521 865 | [email protected]

Partilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin