Swimout é… fish! Swimout é cool e… português

jogo swimout
Swimout é um videojogo que consegue ser viciante e relaxante

O ditado está errado! Nem “tudo o que vem à rede é peixe”… Só quem fura a malha – cada vez mais apertada – dos sistemas Android ou iOS é que sabe nadar. E isso é válido tanto para a arraia miúda como para os peixes graúdos – e os tubarões – que habitam o oceanário do “gaming”. Pois bem, de Mafra, rompe o portuguesíssimo estúdio GETTOUT, que está aqui para (claro!) vender o seu peixe. Acaba de lançar o seu primeiro jogo, o SWIMOUT, a mais recente novidade nos mercados nacional e internacional.

Beatriz Artilheiro e Paulo Arinto, os criadores do jogo, puxam a brasa à sua sardinha… “Não se vão desiludir” com o jogo, que é, para muitos, “viciante”, “relaxante” e “fantástico” – críticas e comentários que receberam aquando do lançamento do SWIMOUT e que ilustram a boa receção ao mesmo. Mas, para Beatriz e Paulo “é apenas o começo”, seguros de que o “potencial [do jogo] é enorme e pretendemos expandi-lo”.

O SWIMOUT consiste em fazer navegar um peixe, o personagem principal, por um cenário que se move. Cada peixe é diferente, uns mais rápidos, outros mais lentos; uns mais pesados, outros mais leves. Todos estão à escolha do jogador, que deve optar pelo que mais se enquadra nas suas necessidades e preferências visuais e técnicas. O peixe é personalizável e até azulejos tipicamente portugueses fazem parte da panóplia de diferentes opções para cada peixe. Para os mais novos, ou para os mais velhos, é caso para dizer que há peixes para todos os gostos

Chegados a este nível, é importante referir que objetivo principal do SWIMOUT é chegar o mais longe possível, alcançando, por isso, a maior pontuação e desafiar amigos, família ou conhecidos para descobrir quem é o derradeiro mestre do jogo.

SWIMOUT atingiu o Top 30 na App Store, na primeira semana de lançamento

“É difícil singrar num mercado pequeno como o nosso; é preciso que todos ajudem e contribuam para nos ajudar a fazê-lo crescer além fronteiras. Ainda assim, acreditamos que seja possível”, reconhecem os dois jovens criadores, com um curso de Design na bagagem.

Beatriz Artilheiro e Paulo Arinto explicam que o projeto SWIMOUT teve início porque acreditam que os portugueses deviam estar mais presentes na indústria dos jogos. “Deve existir uma maior presença lusitana na indústria internacional dos jogos. Há muito talento – também – neste domínio em Portugal”, sublinham.

Durante a primeira semana de lançamento, o jogo atingiu o Top 30 na App Store, algo incomum para qualquer jogo, especialmente português.

LEIA TAMBÉM: MEBO Games: jogos de tabuleiro ganham notoriedade com a pandemia

Ora, para que possa manter a curva ascendente de progressão, é necessário que os números de instalações continuem a aumentar. Para isso, estão a agitar as águas no nosso País e a promover os downloads, gratuitamente, para qualquer telemóvel ou tablet, Android ou iOS, através do link: http://onelink.to/swimout

Sobre o Estúdio GETTOUT:

Criado inteiramente por dois jovens portugueses, Beatriz Artilheiro e Paulo Arinto, de 19 e 20 anos, do concelho de Mafra, GETTOUT é o resultado da ambição de querer iniciar uma carreira profissional de sucesso em Design. E o SWIMOUT foi o primeiro mergulho, com o intuito de expandir conhecimento e criatividade.

Informações adicionais:

Beatriz Artilheiro / Paulo Arinto

Email: [email protected]

GETTOUT

Partilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin